sábado, 25 de maio de 2013

Use Somebody

Eu sou uma idiota.
Essa é a única explicação que eu tenho para ser apaixonada por um garoto que não vejo há cinco anos.
Eu ainda não acredito que estou fazendo essa viagem só pra vê-lo (formalmente para visitar minha família).
- Preparar para aterrissagem.  – Uma voz feminina informou pelos alto-falantes.
Suspirei. Agora não tem mais como voltar atrás. SUA IDIOTA!
Demorou alguns minutos até estar em terra firme. Peguei minhas malas e corri para encontrar meu primo que iria me buscar no aeroporto.
Engulo em seco quando avisto um homem alto, de cabelos louros encaracolados. Meu estomago se revira como se houvesse borboletas tentando sair.
Pare com isso! Falei para mim mesma. Você não é mais uma menina. Não tem o direito de se sentir como uma.
Ele finalmente me reconheceu e abriu um sorriso que fez meu coração se contrair. Sorri bobamente e ele veio em minha direção. RECOMPONHA-SE! Gritei mentalmente para mim.
- Pequena Sadie! – Ele gritou para mim passando um braço em torno do meu pescoço. Envergonho-me de me dizer que derreti em seus braços.
- Não tão pequena assim, tenho 19 anos. – Ele assobiou e arregalou os olhos surpreso.
- Nossa, tanto assim? Eu lembro quando você veio aqui na primeira vez tinha o que? 12 anos?
- Na verdade, 14. – Sorri – E você tinha 18. Enfim, cadê o Luke?
- Ele teve alguns problemas e me pediu para buscá-la. – Ele sorriu mais uma vez. – Você não se importa, não é?
- Estou radiante. – Sorri sarcasticamente.
Merda.

- Vamos, Sadie! Não quero chegar lá tarde. – Kristie, a namorada do meu primo me chamou no andar de baixo.
Passei mais uma camada de rimel e finalizei a maquiagem com um batom vermelho nos lábios. Perfeito.
- Já estou indo – Gritei de volta.
Coloquei as sandálias de salto e desci as escadas.
- UAU – Kristie falou pra mim. – Luke, você disse que sua prima era uma menininha. Mas ela é um mulherão.
Sorri para ela em agradecimento.
- O que você está falando, a Sadie é uma menininha... – Ele finalmente olhou para mim e arregalou os olhos. – O que você fez com a minha priminha?
- Luke – Gritei e pulei em seus braços. Como sou filha única nunca tive um relacionamento de irmãos, mas acho que o que eu tinha com Luke era o que eu tinha de mais parecido.
- Garota, quanto tempo não te vejo. Qual foi a ultima vez que esteve aqui.
- 5 anos – respondi. – Você poderia aparecer em Nova York alguma vez, também.
Ele não respondeu. Porque alguém entrou pela porta. Alguém com os cabelos louros encaracolados e os olhos verdes mais angelicais que eu já vi.
- Marco! – Luke o saudou.
O olhar de Marco imediatamente parou em mim e me analisou. Corei e desviei o olhar como uma adolescente assustada. Brilhante!
- Cadê Hayden? – Kristie perguntou. Marco finalmente tirou os olhos de mim e fitou Kristie.
- Ela não vem. – Ele deu de ombros.
- Quem é Hayden? – Perguntei curiosa.
- A namorada do Marco, – Kristie respondeu – quase noiva.
Marco voltou a olhar para mim.
- Não exagere, Kris.
Kristie riu.
- Qual é! Vocês estão juntos há 3 anos.
Ele ficou calado, assim como eu.
Eu não tinha direito de sentir ciúmes dele, ele nunca foi nada meu e eu nunca fui nada dele. Mas eu senti meu coração apertado mesmo assim. Meu rosto não transmitiu nada do que eu sentia por dentro.
- Bem, pelo menos a Sadie não vai ficar segurando vela. – Kristie deu de ombros.
O caminho para o clube foi silencioso, nós entramos rápido. O que foi ótimo porque tudo o que eu precisava era dançar.
- Vem, eu preciso ir pra pista. – Arrastei Kristie comigo.
Dançamos como se não houvesse amanhã. Dancei para esquecer o porque eu estava aqui e por quem eu viajei milhas de distancia.
Naquele momento só existiam meus movimentos. Meus braços levantados, meu quadril balançando, as mãos em minha cintura.
Espera um minuto.
Virei-me para dar de cara com um cara de pelo menos 1,80 de altura, musculoso, cabelos pretos e olhos azuis brilhantes.
Ele sorriu para mim, mas não era o sorriso que eu queria, não fazia meu estomago se contorcer em êxtase. Não era o sorriso de Marco.
- Logan – Gritou ele se apresentando.
Abri um sorriso.
- Sadie – Gritei de volta.
Uma musica romântica começou.
- Posso? – Perguntou ele.
Que se dane, para esquecer Marco pelo menos por hoje valia tudo. Ou quase tudo.
Acenei em afirmativa.
Ele me puxou pela cintura apertando-me contra seu corpo e encaixou o queixo em meu ombro.
Seu nariz roçou meu ombro nu e veio se aproximando pelo pescoço.
Eu sabia que ele queria me beijar. Mas Marco estava em meu pensamento como se ele tivesse enterrado lá.
Soltei um suspiro e olhei para Marco. Ele estava me encarando com raiva.
Que se dane! Ele tem uma namorada.
Logan agora estava com sua boca quase encostada na minha. Só um beijo não faria mal, não é?
Fechei meus olhos mas o beijo não veio, ao invés disso senti um puxão na minha cintura e fui colocada nas costas de alguém. Pensei que será Luke tentando me “proteger” de um predador. Qual foi a minha surpresa quando dei de cara com um Marco raivoso na minha frente?
- O que você pensa que está fazendo? – Gritou ele pra mim. Estávamos fora do clube, onde ninguém poderia nos ouvir.
- Me divertindo – Gritei de volta para ele, a minha raiva começando a florescer.
- Você estava sendo assediada!
Olhei para ele abismada.
- Não, não estava. Se ele quase me beijou foi porque eu quis!
- Você é uma menina, não sabe se defender.
- Não, eu sou uma mulher e sei me defender sim.
 Segurei seu pescoço e alavanquei meu joelho, parando milímetros antes de machucá-lo.
- Eu poderia deixá-lo estéril se eu quisesse. – Sussurrei para ele, nossos rostos estavam tão próximos que eu podia sentir sua respiração em minha bochecha.
- Vou voltar para dentro. – Avisei-o me desgrudando dele.
Ele não falou nada. Mas não me largou também.
Marco se aproximou e encaixou sua boca com a minha. Puxou forte minha cintura para que ficássemos o mais próximo possível.
Em pouco tempo eu já estava respirando com dificuldade.
- E a sua namorada? – Perguntei com a boca ainda colada a dele.
- Ela não precisa saber.
Mesmo estando em transe com os lábios do cara por quem eu era doida nos meus, minha mente gritava errado. Então reúni toda a força que tinha e empurrei-o. Ele respirava com dificuldade, assim como eu.
Ele deu um passo pra frente, institivamente procurando o que eu tinha tão bruscamente acabado.
Fiz sinal para ele manter distancia.
- O que diabos você pensa que está fazendo? – Gritei pra ele. Surpresa por minha voz estar tão energética e não o sussurro sem ar que eu pensei.
Marco olhou para mim confuso.
- Eu pensei que...
- Pensou errado. Você tem namorada.
- O que tem ela?
- Deus, como pode ser tão cara de pau?
- Eu não estou entendendo, você queria.
- Sim – Gritei para ele. – Mas é errado.
- O que tem de errado nos divertimos juntos?
Soltei uma risada.
- Isso, diversão. Eu não quero ser a diversão de uma noite de alguém, Marco, eu não quero ser descartável. Eu quero esquecer você, foi pra isso que eu vim. Eu não vou ser usada como brinquedo por você.
Virei-me e voltei para o clube deixando um Marco estupefato atrás de mim.
No final das contas era disso que eu precisava.
Um Encerramento.
Um ponto final.   

7 comentários:

  1. incrível o texto,o final foi demais.

    ResponderExcluir
  2. MA RA VI LHO SO!!!
    Não gostei do Marco, huahauhaua

    ResponderExcluir
  3. Um pouco de amor próprio é sempre uma dose bem tomada! Lindo texto flor ^^

    ResponderExcluir
  4. adorei seus textos siga postando .... faz tempo que n publica nada ...

    ResponderExcluir
  5. Deem uma olhadinha nesse All Star! Uma lindeza https://www.enjoei.com.br/produto/jeans--521Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Texto incrivel. Queria o livro com toda a história. Que tal??? rs

    ResponderExcluir